Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://carpedien.ien.gov.br:8080/handle/ien/1731
Tipo: doctoralThesis
Título: Estudos experimentais da ascensão de bolhas de Taylor individuais em tubos verticais e ligeiramente inclinados
Autor(es): Azevedo, Marcos Bertrand de
Primeiro Orientador: Jian, Su
Resumo: Este trabalho apresenta um estudo da ascensão de bolhas de Taylor em tubos verticais e ligeiramente inclinados, entre 0o e 15o, contendo diferentes misturas de água e glicerina estagnadas, usando-se a técnica ultrassônica de pulso-eco e a de visualização com câmera de vídeo de alta velocidade. Tubos de acrílico com 2,0 m de comprimento e diâmetros internos de 0,019; 0,024 e 0,034 m foram parcialmente enchidos com os líquidos, deixando-se um bolsão de ar de comprimento L0, em seu topo. As bolhas foram geradas através da inversão desses tubos. Inicialmente, estudou-se o desenvolvimento dos filmes líquidos em queda ao redor de bolhas ascendendo em tubos verticais, em uma ampla faixa do número da viscosidade inversa Nf (15 Nf 22422). Foram medidas as velocidades das bolhas Ub, seus comprimentos Lb, bem como as espessuras de equilíbrio dos filmes eq e os seus comprimentos de desenvolvimento Z*. Correlações disponíveis na literatura para estimar eq foram avaliadas. Os resultados obtidos indicaram que o filme de líquido tende a atingir uma espessura de equilíbrio. Porém, à medida que Nf aumenta, bolhas mais longas foram necessárias para que esse equilíbrio ocorresse. Correlações empíricas foram propostas para estimar eq e Z*, respectivamente. Na sequência, a ascensão das bolhas em tubos inclinados foi estudada, levando-se em consideração os seus perfis inferiores, superiores e laterais. Foram identificadas diferenças entre os perfis usualmente descritos na literatura, mais característicos de bolhas bidimensionais, e aqueles observados em tubos cilíndricos. Foram identificadas, também, diferenças no comportamento de bolhas ascendendo em líquidos mais viscosos e menos viscosos. Os resultados obtidos permitem uma melhor compreensão do comportamento das bolhas, no interior de tubos inclinados, e a sua influência sobre parâmetros interfaciais, tais como as velocidades das bolhas Ub.
Palavras-chave: Bolha de Taylor
Técnica Ultrassônica
Filme Líquido
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Instituto de Engenharia Nuclear
Sigla da Instituição: IEN
???metadata.dc.publisher.department???: Instituto de Engenharia Nuclear
???metadata.dc.publisher.program???: Programa de Pós-graduação em Engenharia Nuclear
Tipo de Acesso: openAccess
URI: http://carpedien.ien.gov.br:8080/handle/ien/1731
Data do documento: Mar-2016
Aparece nas coleções:Engenharia e Segurança de Reatores Nucleares - Teses e Dissertações dos Servidores do IEN

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MARCOS BERTRAND DE AZEVEDO D.pdf10,38 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.